Brasil na mira da Nova Zelândia

Chris Hipkins viajará para a América do Norte e do Sul para promover a Nova Zelândia para estudantes internacionais.



O ministro da Educação, Chris Hipkins, deve viajar para a América do Norte e do Sul para ajudar a promover a Nova Zelândia como um destino para estudantes internacionais.


Ele também diz que o governo abandonou seus planos de impedir as escolas primárias de matricular estudantes estrangeiros.


Hipkins fez os anúncios em uma conferência internacional de educação em Auckland nesta manhã, dizendo que visitaria os Estados Unidos, Chile e Brasil a partir do final do mês de Maio 2022, com mais viagens nos próximos seis meses.


Ele disse que a reversão do governo de sua posição sobre estudantes estrangeiros de escolas primárias veio após consulta sobre matrícula.


"No final, decidimos que os benefícios para estudantes nacionais e internacionais do 9º ano são significativos e queremos que continuem", disse Chris Hipkins.


Segue-se seu anúncio ontem de que os estudantes internacionais seriam recebidos de volta no final de Julho, como parte da reabertura mais ampla das fronteiras do governo.


"Nosso setor de educação internacional tem enfrentado dificuldades nos últimos anos. Antecipar nossa reabertura a todos os estudantes internacionais mostra o forte compromisso deste governo com eles e com a reconstrução da educação internacional da Nova Zelândia de alta qualidade e classe mundial", ele disse na conferência esta manhã.

No entanto, também inclui regras mais rígidas sobre residência e direitos de trabalho para estudantes internacionais, também anunciadas como parte das mudanças promovidas como uma reconstrução do setor de educação internacional de US $ 5 bilhões por ano.


Hipkins disse que fornecer um caminho para a residência não seria mais fundamental para atrair estudantes de outros países.


As mudanças nos direitos trabalhistas dos estudantes internacionais incluem:


Estudantes em cursos que não são de nível superior (Ex: Diploma level 7 de 1 ano) não obtêm direitos de trabalho pós-estudo, exceto em áreas de deficiências especificadas e ocupações qualificadas.


Os direitos trabalhistas (Pós Estudos) de estudantes internacionais qualificados e de nível superior duram a mesma duração de seus estudos. Ex: 1 ano de pós gradaução o estudante terá direito a somente 1 ano de visto de trabalho pós estudos.

Estudantes de mestrado e doutorado terão o direito de trabalhar na Nova Zelândia por até três anos após seus estudos


Os alunos também não poderão solicitar um segundo visto pós-estudo na Nova Zelândia


Fonte: NewsHub

248 visualizações0 comentário